16/06/2007

Carta de um Poeta



Mina amada,

Hoje pego nesta pena
como quem pega a espada
Abro meu peito com um só golpe,
Para em vã tentativa
retirar você do meu coração,

Percebo então que ao
rasgar o meu peito
Faço aflorar o real
sentimento adormecido,

Sinto minha amada,
que mesmo a espada
Rasgue meu peito e
parta meu coração

Para em tentar te esquecer,
O amor que esta em mim
Continuara a crescer

Um comentário:

Dâmaris disse...

" Palavras tão belas e tão singelas devem ser muito bem guardadas... nunca escreve-las ao vento, deixando-as apenas em um pensamento.... o pensamento se vai... nossa mente se distrai... Escrevendo e deixando elas em nosso coração boas coisas sempre nos traz..."

Nada melhor que encontrar um abrigo para nosso sofrimento, saber o porque de nossos pensamentos, e entender o amor em um só julgamento...

Parabéns...
De sua fiel visitante....